Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos De Todos Os Tipos E Feitios

O próximo grande hit: Maldito ciclista

E pronto, na minha opinião a alteração do código também merece musiquinha, por tanto, da próxima vez que ao conduzirem se depararem com 1 ou 2 bicicletas à vossa frente, podem trautear a seguinte canção, claro está que a seguinte letra deve ser acompanhada com o instrumental do "Maldito Amor" da Ágata:

 

(Maldito Ciclista)

 

Maldita bicicleta que me enlouqueces
Às vezes parece que fazes bruxedo
Pois é tão grande o sentimento que sinto cá dentro
Te sigo com medo
Maldito ciclista que já me causavas arritmia fizeste magia e agora
Receio
Ultrapassar-te nesta estrada que não tem mais
De metro e meio

 

Bendita hora que tu mudaste de direcção
Pois ultrapassar-te estava a ser uma complicação
Graças a Deus que um mais um são dois e não são três
Porque dois à minha frente, já são demasiados de uma só vez
Maldito dia que alguém, vos deixou andar a par
Se um já era chato, dois só vai piorar
Os momentos de angustia, de espera, de pura frustração
Maldito dia que o código sofreu alteração.

 

(refrão)
Maldita bicicleta que me enlouqueces
Às vezes parece que fazes bruxedo
Pois é tão grande o sentimento que sinto cá dentro
Te sigo com medo
Maldito ciclista que já me causavas arritmia fizeste magia e agora
Receio
Ultrapassar-te nesta estrada que não tem mais
De metro e meio

Olha desculpa, estou-te a ver as cuecas…

Nunca vos apeteceu dizer isto a alguém? A mim já, e diria mesmo que é um bocado assustadora a frequência com que me apeteceu dizer isto. Não, não o diria sem fundamento, até porque não padeço de nenhum problema do foro psicológico que me faça ter delírios desses. O que acontece é que por vezes vêem-se pessoas a quem apetece dizer isto, porque de facto andam a mostras as cuecas… Já não me refiro àquelas situações em que as calças estão por debaixo do traseiro expondo toda a beleza (ou não) da dita roupa interior, nesses casos nem valia a pena dizer que lhes estava a ver as cuecas; se uma pessoa anda com as calças daquela maneira, decerto sabe que anda a mostrar a sua escolha de roupa interior ao mundo. A esses sujeitos queria era perguntar se andar com as calças àquele nível, e conseguir andarsem elas caírem , se é uma habilidade naturalmente adquirida ou se há por aí algures um curso a ensinar a arte… às tantas no youtube há tutorial…

 

Mas voltando ao assunto que me fez escrever hoje…leggings opacas, daquelas tipo collants.

Caras moças, por muito opacas que as leggings sejam, aquilo ao esticar fica mais transparente, consequentemente quanto mais esticadas, mais transparentes ficam. Não é então difícil de deduzir que ao esticar na zona do traseiro, fiquem transparentes, e claro está, se são usadas como calças, o que é que acontece? Isso mesmo! Vêem-se as cuecas! Daí a minha vontade de dizer “Olha desculpa, estou-te a ver as cuecas”. No entanto não tenho a certeza se isto não será um facto conhecido e desvalorizado, o que me leva a questionar se em vez de dizer “Olha desculpa, estou-te a ver as cuecas”, não era mais sensato, na sociedade em que vivemos, dizer antes “ Olha desculpa, obrigada por estares a usar cuecas”.

 

_____________________

 

Obrigada ao youtuber Sake (não, não o conheço) que com o video "serviço publico" (ver aqui) me inspirou para o post. 

Leva tudo, mas não o bacalhau!

A crise afecta muita coisa, mas o bacalhau está em alta! (ver noticia aqui ) Não é de estranhar uma vez que o bacalhau está muito ligado à cultura portuguesa, diria mesmo que de uma forma geral, se tirassem o bacalhau ao povo tiravam-lhes tudo. Até já estou a imaginar a adaptação da musica da Ágata Comunhão de bens:

 

Cobras impostos,
Podes levar o que pertence a ti
Cobras impostos,
Podes levar o que pertence a mim
Cobra impostos,
Leva contigo o que te apetecer
Cobra impostos,
Mas deixa-me bacalhau para comer
Não me leves a coisa mais querida
Que como todos os Natais
Não me tires a minha comida
É do bacalhau que eu gosto mais.

 

(Refrão)
Podes ficar com as jóias, o carro e a casa
Mas não fiques com o bacalhau.
E até as contas do banco, e a casa de campo,
Mas não fiques com o bacalhau.
Podes ficar com o subsidio, ou pagá-lo em duodécimos
Mas não fiques com o bacalhau
Tira-me tudo na vida, e o mais que consigas,
Mas não fiques com o bacalhau.

 

Cobras impostos,
Podes levar daqui tudo o que houver
Cobras impostos
Eu até pataniscas quero fazer
Cobras impostos,
Leva os tachos e o os trens
Cobra impostos,
Até prescindo dos meus pães

 

Mas não leves essa coisa mais querida
Que é meu
Não posso largar
Mesmo com a crise vou à loja
E é bacalhau que quero comprar!

Fumo branco..

Ainda espero pelo dia em que o fumo branco seja engano, "ups, enganámo-nos no quimico" ou "ceguetas!! aquilo é cinzento mais virado para o preto que para o branco!" mas não foi desta, afinal temos mesmo Papa.

Confesso que imaginei no meio daquela multidão, um grupo de pessoas a cantar "grândola vila morena" mas depois apercebi-me que no contexto não fazia muito sentido..enfim é o que temos..

Rebeldia

Rebeldia é sentir aquele nervoso miudinho no estômago porque sabes que estás a ir contra as regras, é sentir a adrenalina no bater mais forte do coração. E isto ultimamente acontece quando, caros leitores? Quando se sai de um café, ou de um outro qualquer estabelecimento comercial, e factura nem vê-la. 

 

Há uns dias comi um folhado e bebi um sumo, saí do café e apercebi-me que nem talão tinha, fiz questão de abandonar o local do crime, não fosse alguém apanhar-me e eu sem o dito papel...

 

Agora ando a pensar em ir ao mercado, aqueles mercados de rua, estão a ver? Mas não sei se o meu coração aguenta o stress: todo aquele potencial de venda e a ausência de facturas, até dá vontade de cair na tentação de pagar e não pedir factura..(sim, porque se se vendem lá produtos, supostamente deveriam passar factura, certo?) 

 

E se me derem factura sem eu a ter pedido? Isso às tantas é outra carga de trabalhos...se calhar o melhor é escrever na testa "Era a factura por favor" assim até posso afirmar que a pedi por escrito...

Por momentos fiquei preocupada...

Ia eu a passar os olhos pelas noticias na homepage da sapo, quando de repente deparo-me com a seguinte noticia: 

"UE preocupada com bem-estar dos porcos portugueses". 

 

"Também não é preciso ofender" pensei eu, podemos estar numa situação de m**** mas daí a sermos porcos ainda falta um bocado..

Mas afinal não era nada disso, são mesmo os porquitos que estão a viver sem condições.. 

E eu que não me lembrei disto antes!!

Depois de uma certa e determinada polémica que eu não vou mencionar porque não estou aqui para falar mal de ninguém (se estás a tossir neste momento, não faço ideia porque será..) comecei a magicar com os meus botões o que é que se entende por experiência profissional..mais precisamente se ter um blog se encaixaria na definição... isto porquê? Porque era giro pedir equivalência a algumas disciplinas com ele, aqui já se falou de tudo, desde politica a publicidade passando pela sabedoria popular, até de moda... depois posso sempre afirmar que não tenho um, mas dois!! E o outro é quase filosófico de vez em quando... e depois também posso por que quando era pequena vendi rifas, e bolos e parece-me que também já vendi uns pêssegos.. só as técnicas de marketing que aquela tarefa te ensina...deixa cá ver, se contarmos as papas que eu fazia no quintal da minha avó com ervas, terra e outros ingredientes, podemos quase considerar que tenho bioquímica feita... hmm.. Posso sempre afirmar que estava a trabalhar por conta própria, sempre dá um ar mais profissional à coisa. Com isto já devo ter reduzido um curso de 3 anos em pelo menos 1 e três quartos..

 

Se me dão licença, vou completar o meu curriculum vitae, parece-me que está extremamente incompleto..

Nova cara!!!

É com muito orgulho que digo, que o desabafos de todos os tipos e feitios foi alvo de renovação. Obrigada à minha querida irmã que se deu ao trabalho de me fazer ambas as imagens (a de fundo e a do cabeçalho) que ficaram tão lindas!! Agora isto até parece um blog de gente séria :P

O milagre chamado Euro 2012

Ora, como não podia deixar de  ser, achei por bem dizer qualquer coisinha referente ao Euro 2012. E do que é que eu vou falar? Ora vamos lá ver: não vai ser da estátua da cera do Ronaldo que anda a ser assediada por Alemãs, e nem da possibilidade das camisolas da selecção serem tóxicas, se bem que isso pode ser explicação para muita muita coisa…

 

Mas o que eu quero mesmo, mas mesmo falar, é dos anúncios da Galp. Estão a ver o do rapazinho a ler uma carta à selecção, e o outro de carradas de actores a falar sobre as expectativas deles em relação à Selecção? Não estão? Perguntem ao Google que ele sabe.

 

Ora, na dita cartinha, o rapazito diz que cabe à selecção mostrar que nós (portugueses) não somos preguiçosos, que continuamos a ser um povo honesto e trabalhador, entre outras coisas, e antes disso ainda diz, que ele quer ser médico, mas que só fica se valer a pena. Resumidamente ambos os anúncios passam a ideia que se Portugal ganhar, passa a valer a pena ficar por cá. Sou eu a única pessoa que tem uma certa dificuldade a ver a ligação? Sim, se ganharmos vamos ser os maiores. E depois? Os desempregados vão todos trabalhar para a selecção,o défice vai diminuir milagrosamente devido às exportações de todo o tipo de recordações referentes a jogadores, o estado vai ter pipas de dinheiro para pagar às empresas privadas, ou então vai pagar em bolas de futebol? Ah,e claro, os jovens vão deixar de sair do país, já estou mesmo a ver a situação: “Sair de Portugal? Nunca! Então ganhámos o Mundial, eu agora vou é fabricar bolas”. Resumindo, vai ser assim a meios que o milagre do futebol, sendo os santos responsáveis os jogadores.

 

Epá, se somos vistos como preguiçosos, pensem positivo, ao menos não andamos a matar gatos e cães vadios, nem andamos a afugentar nuvens indefesas com mísseis (ver noticia aqui )